/Formação

23/nov/09 por Bob Ferraz

10 dicas para um ilustrador – Por Daniel Ramos (Dan)

FacebookTwitterPinterestEmail

1) Antes de mais nada: você é um ilustrador e não um mero desenhista. Uma ilustra é um desenho expressivo para passar uma idéia, conceito, mensagem e/ou emoção, geralmente de acordo com a necessidade de outros, de jornalistas a publicitários. Portanto, é crucial encarar o seu trabalho com seriedade.

Ao se deparar com um garoto com um lápis, um cliente obviamente vai deitar e rolar. E a culpa não é dele, é sua! Se dê ao respeito - aja de forma profissional e segura, busque a melhor solução e os melhores termos para as duas partes e procure gerar um relacionamento amigável (afinal, aquele pode ser o cara que vai te indicar para outros).

Como diria Anderson Lima, o seu produto é o seu trabalho - só que mesmo que você tenha um bom produto, precisa saber vendê-lo.

2) Se valorize. O mercado é bem vago em relação a preços, de modo que cada um cobra o que quer. O valor do seu material deve, além de se basear na quantidade de trabalho que você teve, refletir exatamente o quanto você vale. Nem todo cliente vale a pena. Mantenha os seus preços em uma faixa plausível, nada muito fora de realidade, mas lembre-se que cobrar muito barato ou baixar o preço demais pode trazer um amargo arrependimento depois. Você gasta massa cinzenta, tempo, material, dinheiro, vista e muito mais, e um custo baixo pode nem sequer cobrir suas despesas, quanto mais compensar o valor do seu trabalho.

3) Monte um portfólio, porque ele é o seu currículo. Junte suas melhores ilustras, de preferência as que foram executadas de verdade - prefira qualidade à quantidade. Aproveite a internet, montando um site ou utilizando os variados espaços gratuitos, como blogs, fotologs, projetos digitais e comunidades de arte (de preferência vários ao mesmo tempo; tenha muitas cartas na manga). Mantenha-o atualizado com as criações mais recentes e divulgue seu endereço.

Algo muito importante é expandir sempre sua rede de contatos. Procure conhecer agências, empresas e profissionais que podem alavancar seu trabalho. Mande alguns e-mails e recados (nada de spam!).

Seguramente eles comentarão com os seus próximos clientes. E o mais importante: procure entrar no mercado de outros estados, especialmente nos grandes centros, porque dificilmente você vai ganhar dinheiro de verdade só na sua cidade.

4) Acredite no seu trabalho, mas aceite críticas. Você vai ouvir muita coisa desagradável. Defenda o seu material, mas antes faça uma auto-análise sobre a crítica (já disse Milton Glaser: a dúvida é o caminho para a evolução), tendo em mente que você falha como todo mundo e esquecendo essa história de que quem critica está com inveja ou devia fazer melhor - especialmente porque a ilustração, mais que bonita, deve ser funcional. O sucesso do seu trabalho depende do meio termo entre o que o cliente quer passar e o que você quer fazer.

5) Saia do clichê! Inove sempre ou estude mais. Corra o risco de apresentar algo novo, mesmo que seja uma transgressão (retrô). Procure usar referências mais para fotografias (no caso de anatomia, objetos e coisas assim) e aspectos gerais dos estilos que for utilizar, e sempre inclua suas sacadas. Lembre-se: copiar descaradamente é sempre sacanagem e todo mundo vai saber de onde você copiou, especialmente se for uma referência conhecida.

6) Seja versátil. Sabemos que todo desenhista tem um traço, mas traço e estilo são coisas diferentes, e um ilustrador não pode se dar ao luxo de se confiar a um só estilo. A realidade muda e os estilos devem se adaptar. Um traço pode ficar na moda por um bom tempo, mas logo logo vai voltar pra geladeira ou - o que é mais comum - seus clientes vão procurar estilos diferentes para inovar. Se o sujeito precisa de uma ilustra em pixel art e você não sabe fazer, tem quem saiba. E a fila anda.

7) Abra a sua mente. Expanda seu conhecimento. Esteja sempre em contato com o maravilhoso mundo da mídia, incluindo cinema, arte, design, games, música, publicidade, televisão, quadrinhos, fotografia e literatura. Busque referências cada vez mais amplas - fique por dentro do trabalho de outros ilustradores e artistas em geral. Procure sempre se atualizar sobre os novos - ou revisitados – estilos. Mude sempre seus conceitos a respeito de cores e leia bastante sobre tudo, principalmente o que você não gosta (afinal, você está fazendo algo para outras pessoas e não para si mesmo). Compre livros de anatomia e ilustração (aprenda com os mestres), revistas e jornais, um iPod (ok, brincadeira =), ligue a tv e pule de cabeça na internet! Acredite: sacar as novidades e tendências ajuda bastante a encontrar o rumo dos seus trabalhos.

8) Pratique exaustivamente, nunca é demais dizer. Somente o exercício pode manter a mão afiada e, como você já sabe, o traço precisa ser algo em constante evolução. Desenhe sempre e em qualquer lugar, tentando comunicar de formas diferentes situações reais que você captar. Se possível, ande sempre com um bloquinho, para ganhar confiança no seu traço e aproveitar os momentos de inspiração, ou esboçar a ilustra já enquanto o cliente passa a idéia pra você (eu costumo desenhar na minha agenda, mas não recomendo). Se você não tiver experiência com o esquema da ilustração em si, ache algumas matérias de jornais ou revistas (que não tenham ilustras, espertinho), pense em um estilo para representar os assuntos ou temas e tente ilustrá-los. Imponha a si mesmo um prazo para fazê-las e corra atrás.

9) Não force! Se você está com a velha “síndrome do papel em branco”, esqueça o desenho por algum tempo e procure arejar a mente. Vá tomar um café, respirar um ar puro, jogar videogame, ver tv ou fuçar na internet. Uma boa dica é começar outro trabalho paralelamente - ao menos comigo, sempre que empaco em algum desenho, começo outro. Muitas vezes a idéia pra primeira ilustra surge bem na hora em que estou procurando referências para o outro trabalho ou mesmo trocando a ponta da lapiseira! É por isso que prazos mais largos são essenciais. Não somos operários, lidamos com criatividade e inspiração (mesmo quando estejamos ilustrando a idéia de outra pessoa, somos cruciais no processo criativo) e precisamos ter o direito de espairecer, a menos que falte um dia para acabar o prazo.

10) Acima de tudo, finalmente, não poderia esquecer de dizer: nunca desista! Mesmo que os obstáculos sejam muitos e a grana seja pouca, seja persistente. E se achar que o trabalho é bom mesmo, vá até o fim!

Daniel Ramos (Dan) é ilustrador e diretor de arte da Faz Comunicação.

Tags relacionadas

Envie para um amigo

(Use a vírgula para informar mais de um endereço)

0

Comentários

Comments are closed.

/Outras Seções

/ Twitter @ GogoJob

"Diretor de Arte – Fortaleza http://t.co/GOCCGWC6l6 #GogoJob"
"Estágio em Direção de Arte – João Pessoa http://t.co/s5ZK9GaFU4 #GogoJob"
"Estágio em Redação – João Pessoa http://t.co/ZgQZFNK7io #GogoJob"
"Designer Gráfico – Recife http://t.co/0DKHnIFrp5 #GogoJob"
"Estágio em Redação – Recife http://t.co/JGh1zxBNOx #GogoJob"
"Confira as nossas últimas vagas - http://t.co/ycMdi5gyhz #GogoJob"
"Designer Gráfico – Recife http://t.co/ynPZ1zIkpD #GogoJob"
"Diretor de Arte Júnior – Recife http://t.co/n1lreZVRfh #GogoJob"
"Entrevista com Max Leal, publicitário paraibano que será homenageado em Gramado - http://t.co/wnWj9eybsr #GogoJob"

2004-2019 © Todos os direitos reservados Gogojob
Empregos e Formação Publicitária no Nordeste
Desenvolvido por Concepto Internet, utilizando o WordPress